Entrevista com João Felipe da Le Raleh


M&S: Como a Le Raleh se formou?
João: A Le Raleh se formou na época de colégio ainda, quando decidimos nos juntar pra fazer um som sem compromisso e que acabou nos envolvendo no mesmo sonho, de profissionalizar a nossa música. Nós já tocamos uns com os outros em diferentes formações, em diferentes momentos.

M&S: A partir de que momento vocês perceberam que iriam se empenhar seriamente na banda?
João: Quando começamos a tocar nos eventos da escola e as pessoas ficavam perguntando quando iríamos tocar de novo e de novo e de novo, pedindo pra gente gravar as músicas, etc.

M&S: De onde surgiu o nome da banda?
João: O nome surgiu em Búzios, estávamos lá com uns amigos. Os caras em um apart e as muié na casa de uma delas (não tinha lugar pra gente ahaha). Na hora da galera se encontrar pela amanha, o Dudu ligava pra sua namorada, e perguntava "Onde vocês estão?" e ela sempre respondia "To em frente ao 'le ralê'", tentando se referir a um Hotel de luxo situado na praia de geriba. Aí ele zuava "É 'LE RELÉ', garota!!". Um belo dia, ainda nessa viagem, a gente tava na piscina discutindo o nome da banda, que tinha acabado de se formar, ai alguém, se eu não me engano a própria namorada do Dudu, falou: Le Raleh!! Aí pegou... Ainda tem esse lance do "Le" um artigo francês e a raleh né... Quer dizer, somos todos do Leblon, bairro nobre do Rio, mas queremos tocar pro mundo inteiro, sem limites, seja pra nata ou pra ralé!! Não me pergunte o porquê do "h" hhaha...

João Felipe durante show da Le Raleh na boate 00
M&S: Como ocorrem na maioria das vezes a composição da banda?
João: Na maioria das vezes eu componho as músicas, mas os arranjos são sempre feitos em conjunto com o resto da banda.

M&S: O que influencia e inspira suas composições?
João: Se eu te contar, perde a graça né? Hahah, brincadeira! Falando por mim, eu não tenho um método específico, simplesmente vem à minha cabeça e eu escrevo... Toda canção minha tem algum significado, sem exceção.

M&S: Como surgiu o hit “É Verão?”?
"É Verão?" surgiu quando estava em casa, em um dia de verão, querendo ir pra praia, e tava caindo mó pé d'água... A meteorologia disse que ia fazer sol... Aí eu me perguntei: até que ponto isso funciona e condiz com a verdade?

M&S: Você tem surfado? Quais são seus picos favoritos?
João: Tenho sim! Já fiz escolinha quando era moleque, mas comecei a ter gosto pela coisa mesmo lá na Califórnia! Surfava direto... Me apaixonei! Onda é onda né bicho, mas gosto muito de surfar em point break, porque é mais constante tá ligado? Acho que é por causa da formação não variável das pedras, sei lá! Aí a gente depende só das ondulações e do vento.

M&S: Quais são suas influências musicais da banda e o que você tem escutado ultimamente?
João: Então... O legal é que nós quatro temos gostos musicas completamente diferentes!! E eu acho isso mó diferencial! Cada um coloca uma ideia diferente e acredito que isso só nos faz crescer... Comecei a ouvir muito lá na California bandas como Sublime, Pepper, Katchafire, Slightly Stoopid, The Beautiful Girls, Rizzle Kicks... É o que eu tenho ouvindo mais no momento... Mas ouço de tudo! Tim Maia, Djavan, João Gilberto, Gil, Seu Jorge (nota1000) e por ai vai...

M&S: Vocês já estão fazendo shows por vários cantos do Rio de Janeiro. Como você vê a internet, as mídias sociais e também os shows realizados como um meio da banda despontar no cenário musical nacional?
João: A internet é impressionante! O crescimento que ela teve em tão pouco tempo é muito louco... Hoje em dia você imagina o mundo sem ela? O grande segredo é saber usar esse instrumento da maneira mais correta possível, pra que rendam bons frutos né... Por exemplo, antes de colocarmos um vídeo no Youtube, assistimos milhares de vezes a ele antes de postar...

M&S: Que novidades os fãs da Le Raleh podem aguardar?
João: Acho que a novidade maior é o CD né... Vai ficar lindo! Estamos nos dedicando muito e gravando com o maior amor e carinho do mundo pra que fique bem a nossa cara... Agora estamos construindo parceiros, equipe... Como gosta de dizer meu querido mestre Nono, como eu chamo carinhosamente o nosso produtor, Robson Nonato, apertamos o botão do "start" profissional.